Sobre não cozinhar

Eu amo comer. E cozinhar é uma verdadeira oração. Mas eu faço mais do primeiro que do último. Por quê? Por que diabos eu cozinho tão se pouco se me faz tão bem? Por que eu não eu monto a cozinha do meu gosto? Por que eu não vou na feira sábado de manhã? Por que eu não compro frango para assar e carne moída para refogar? Por que eu não ponho a mesa e chamo os amigos para jantar?

Por que eu não chego em casa e misturo o que tiver na geladeira para fazer a janta caseira que todo mundo respeita? Por que eu não tiro a farinha do armário e coloco ela para assar? Por que eu não me inspiro nas receitas da Ana depois de me emocionar com as histórias? Por que eu não ligo para minha mãe e pergunto como faz? Por que eu compro as facas que eu sempre quis comprar? Por que o jogo de panela ficou na loja? Por que a colher de pau não veio comigo para casa?

Por que só omelete no café da manhã? Por que eu não trouxe as taças para cá? Por que eu não estoquei vinho? Por que eu ainda não comprei a batedeira, a chaleira, a frigideira? Por que eu pago caro no que eu sei que posso fazer melhor e mais barato?

Por que eu não fui na aula de cozinha oriental? Por que eu não fiz o curso de pão? Por que eu não comprei pimenta e o moedor? Por que não?

Eu poderia deixar esses porquês fermentando até brotar uma reposta que explique, justifique. Mas a melhor resposta parece ir dormir para acordar cedo amanhã. Tem feira aqui na rua do lado de casa. E eu vou precisar de melão para o café da manhã e tomates pro almoço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.