Sopa de pão ou como eu me conecto com o meu avô que eu não conheci

Isenção de responsabilidade: se você caiu aqui em busca de uma receita de sopa dentro do pão italiano ou um tal receita de sopa de pão portuguesa salgada, pode sair e aumentar a taxa de rejeição do blog. Ou fica e lê essa historinha fofa que pode saciar outro tipo de fome que você tem aí. Esse texto é sobre uma receitinha doce, da infância, que me aquece até hoje e dá a sensação de abraço apertado e cuidado de quem eu nunca abracei.

Quando eu era criança, minha mãe me ensinou a fazer uma tal de sopinha de pão, que levava leite, aquecido na leiteira ou, alguns anos depois, no microondas, duas colheres de achocolato (um dia eu prometo que levo a briga entre Nestlé e PepsiCo para uma edição dos Crimes Gastronômicos), e um pão velho, de até dois dias, picados na mão mesmo.

A mistura desaprovadíssima pelas associações brasileiras de Nutrição e Pediatria podia não ser a escolha mais saudável pra as manhãs de sábado frio, especialmente por ser consumida na frente da TV. Mas me nutria de amor e conforto que só agora com mais de 30 anos nas costas e na barriga eu começo a entender

Além das altas quantidades de açúcar, essa receitinha vinha com a história de que meu vô João, pai do meu pai, sempre fazia essa sopinha de pão e adorava. Eu não conheci o vô João, ou melhor, não lembro de conhecer. Ele morreu quando eu tinha seis meses. Mas passeio a vida inteira ouvindo histórias sobre ele.

E sei que é fácil falar bem de morto, mas mesmo as histórias menos admiráveis foram ganhando versões que me deixam com um boa impressão desse senhor. Senhor que massageava os pés da minha vó quando ela chegava do trabalho, que passava as roupas para minha mãe quando ela estava grávida, e levava minha irmã para passear quando ela era bebê.

Então eu gosto de imaginar que se a gente tivesse mais alguns anos juntos, sentaríamos juntos para tomar sopinha de pão nas manhãs de sábado frio. E quando eu faço isso até hoje tenho essa sensação boa de estar cuidando de mim, como acho que ele cuidaria.

Chega de lágrimas e vamos a receita mais fácil que a de fazer gelo:

Sopa de pão do vô João

Ingredientes

  • 1 1/2 xícara de leite da sua preferência
  • 2 colheres de sopa de achocolato ou chocolate em pó
  • 1 pão francês amanhecido

Modo de preparo

Aqueça o leite, coloque numa cumbuca e adicione o chocolate em pó e misture até dissolver. Pique o pão com as mãos e mergulhe na misture de leite e chocolate. Coma com uma colher, sentada no sofá, assistindo desenho.

1 comentário Adicione o seu

  1. Luiza Burleigh disse:

    ❤️❤️❤️ que delícia de história! Adorei conhecer um pouco do seu avô. O meu amor pela sopa de pão também vem do meu avô (materno), que tive pouco contato. Conta a minha avó que a dele era com café com leite no lugar do achocolatado. Mas até hoje eu tomo sopa de pão com leite e açucar e aquece o meu peito que nem mingau de aveia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.