Comendo no Peru

Eu passei só quatro dias no Peru. Mas foram quatro de vividos ao máximo entre Cuzco, Aguas Calientes, Machu Picchu e Lima. Parte dessa aventura foi à mesa, onde experimentei muito pollo, peixe, frutos do mar e um bichinho que eu nunca achei que ia experimentar. Não, eu não comi cuy.

Pollo

Desembarquei em Cuzco cedinho, a tempo do café da manhã do hostel. Pãozinho com manteiga, geleia e chá. Mas a minha primeira refeição de verdade lá foi frango, a segunda também. E a última. Tem muito frango lá. Mas nenhum coração de galinha.

Milho

Existem algumas centenas de tipos de milho pelo mundo. Mas a Marília de 2013 conhecia só o amarelo bonitão que tinha no sítio da vó e que usamos para fazer pamonha, cural, pipoca e outras delícias. Subindo uma escadaria Cuzco, descobri um milho cozido bem diferente do que costumamos comer aqui. Pálido, gordo e massudo. Interessante?  Sim. Bom? Não exatamente.

Ceviche

Um dos meus restaurantes favoritos em São Paulo é o La Peruana. Em partes porque toda vez que eu como lá eu me sinto um pouquinho no Peru. E foi lá a primeira vez que eu comi ceviche. Estava divino. Peixe branco bem fresquinho. Milho torradinho. Batata doce. Comi de me acabar.

Carne de Alpaca

Todo mundo que quer se sentir um aventureiro do sabor, experimenta cuy quando vai para o Peru. Eu não tive coragem. E aquele bichinho pareceu seco demais pro meu gosto. Mas mesmo restaurante em que provei o ceviche, tinha um item mais exótico no cardápio: carne de alpaca. Pedi, por que não?

Valeu mais por poder dizer hoje que u já comi carne de alpaca do que pelo sabor. Magrinha e sem graça. Prefiro uma vaca!

Montanha de frutos do mar

Voltando para o Brasil, a escala de muitos horas em Lima rendeu refeições marcantes. A primeira foi uma montanha de frutos do mar que eu não consigo descobrir o nome até hoje. Começava com uma caminha de batata frita e seguia com camadas e mais camadas de peixe, mexilhão, camarão, lula e polvo empanados. Quase um chorrillana de frutos do mar, só que maior, muito maior, E sem ovo ou queijo.

De comer rezando!

Anticucho

Outra iguaria descoberta na capital peruana foi o anticucho, o coração de vaca. Um amigo que conhecemos em Machu Picchu fez questão de nos fazer experimentar um pedaço. Não foi ruim. Mas não faço questão de comer de novo. Tem um gosto e uma textura muito específicos. Da mesma forma que um bife de fígado tem. Mas não tão gostoso.

Espero voltar para experimentar novos pratos peruanos. E reencontrar alguns sabores favoritos.


La Peruana
Alameda Campinas, 1357 – São Paulo

1 comentário Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.